Consultores e Corretores
Cadastrar Imóvel
(016) 2111-8880 (016) 2111-8888
Telefone

Gazeta de Ribeirão - 02/08/2010


De olho na casa Checar as instalações hidráulicas pode evitar vazamentos e gastos excessivos na conta de água.


Virada de mês é sinônimo de contas a pagar. Para economizar, é bom ficar de olho no hidrômetro. Isso porque vazamentos, até mesmo os menores, e hábitos do dia-a-dia contribuem para o aumento da conta de água. Investimentos em reparos na rede hidráulica e a mudança de algumas atitudes podem diminuir em até 30% o consumo da residência, o que significa uma queda de 50% no valor final da fatura.


Com uma análise rápida no histórico de consumo da casa é possível verificar se há vazamentos na rede. “Falta orientação da população sobre como acompanhar o hidrômetro, aí o pessoal só percebe quando a conta vem alta de um mês para o outro”, disse o técnico em detecção de vazamentos Fábio Filgueiras. Ele explica que hoje em dia algumas empresas especializadas utilizam um equipamento que busca vazamentos com alta precisão. “Colocamos gás nitrogênio nos canos e um sonar ajuda a encontrar a rachadura ou rompimento do cano pelo som. Assim não temos que quebrar o quintal todo.”


O encanador Geraldo Pereira da Silva conta que mesmo um vazamento pequeno pode dobrar o consumo da casa. “E até mais. Numa casa, eram utilizados 25 mil litros por mês, depois do problema passou a consumir mais de 60 mil”, disse. Falhas no aterramento da residência, como a utilização de pedras no processo, são as principais causas dos vazamentos. “Com o tempo a terra sede e a pedra encontra os canos. Os rompimentos e as rachaduras geralmente acontecem nas emendas da rede”, disse. Segundo Silva, a água que vaza e não é consumida se perde na rede de esgoto ou pode causar infiltrações e problemas na estrutura da casa. “Sendo que quase sempre é água potável”, lembrou.


Para o técnico em hidráulica Cesare Augusto de Jesus Formisano, além dos vazamentos é preciso se cuidar no dia-a-dia para diminuir os gastos. “Máquinas de alta pressão para limpeza de quintais utilizam 700 litros por hora, enquanto uma mangueira convencional chega a gastar 1,8 mil litros. Vasos sanitários com caixa integrada gastam 5 litros por acionamento, enquanto os outros gastam 10 litros a cada cinco segundos”, disse.


Ações simples podem ajudar


Não somente mudanças que exigem investimento financeiro que ajudam a diminuir o consumo da residência. Para o técnico em hidráulica Cesare Augusto de Jesus Formisano, reaproveitar a água da máquina de lavar roupas é algo simples e que pode diminuir consideravelmente o valor das faturas. “Uma máquina média utiliza 50 litros para o enxágue. Essa água é limpa. Basta armazená-la no tanque ou em um barril e utilizá-la na limpeza do quintal ou coisas assim”, disse. Formisano explica que a cobrança feita pelo Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto (Daerp) é feita de forma progressiva, por isso diminuir um pouco o consumo significa pagar bem menos. “Então a pessoa que baixar 30% no consumo de água diminui em 50% do valor da fatura. Ou seja, uma pequena mudança garante um dinheiro a mais para as compras e o lazer”, afirmou. (RV)


+ Manutenção


Veja Mais Notícias
Escolha a Piramid mais perto de você.
  • Unidade Centro
  • Unidade Fiúsa
  • Unidade Vargas
  • Unidade Boulevard
  • Belo Horizonte
    (031) 3508-8288
  • Brasília
    (061) 3246-7888
  • Campinas
    (019) 3512-9880
  • Franca
    (031) 3508-8288
  • Ribeirão Preto
    (016) 2111-8888
  • Rio de Janeiro
    (021) 3513-0888
  • São Paulo
    (011) 3508-8890
  • Sertãozinho
    (016) 3513-0888
  • Uberaba
    (034) 3326-9888